Slow J, Papillon e Plutonio no primeiro single do novo álbum de Stereossauro

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [FOTO] Direitos Reservados

“Nunca Pares” é o single de avanço do próximo disco de Stereossauro. Slow J — que também está envolvido na produção –, Plutonio e Papillon são os convidados de honra do DJ e produtor das Caldas da Rainha. Um quarteto que reúne alguns dos talentos mais entusiasmantes da actualidade.

Ricardo Gordo e Nuno Cacho vincam a portugalidade na canção através do som das guitarras portuguesas e Vasco Reis Ruivo & MadeInLx realizam o vídeo que cria outro caminho para a canção que poderia muito bem ser o hino oficial da selecção portuguesa de futebol, que está prestes a iniciar o seu percurso no Campeonato do Mundo na Rússia. Questionado sobre o timing do lançamento, Tiago Moreira esclarece o propósito: “Acho que faria muito sentido, mas é impossível prever o que acontece quando lanças uma música. O momento é propício para isso, mas ‘prognósticos só no fim do jogo’.”

Depois de Slow J, Papillon e Plutonio colaborarem em “Iminente”, canção de Deepak Looper,  “Nunca Pares” é um novo esforço conjunto que não desilude. Stereossauro revela como tudo aconteceu: “Este tema começou a ser pensado no início de 2017 com o Slow J. Já tínhamos a temática em mente. A ‘portugalidade’ foi sempre o conceito central de todo o disco desde o início. O instrumental teve diferentes versões ao longo deste ano. Comecei algumas versões, depois passei as pistas para o Slow J, que deu a volta dele ao beat. Fomos trocando mais umas ideias até este resultado final. Esta música é perfeita para estabelecer o mood do disco. O álbum viaja por várias sonoridades diferentes, mas sempre dentro do conceito”.

E acrescentou: “Foi logo no início do projecto que convidei o Slow J, e, claro, dei-lhe carta branca para convidar quem quisesse para a faixa. Confio muito no critério dele, por isso deixei-o à vontade para fazer o que quisesse. Convidou (e bem) o Papillon e o Plutonio, que estão num momento de forma incrível. O contributo deles para o som é incrível. Os 3 no mic… magia.”

Se já sabemos desde Novembro do ano passado que o fado é o “núcleo” do sucessor de Bombas em Bombos, que tem lançamento previsto para o final do ano pela Valentim de Carvalho, os restantes pormenores estão no segredo dos deuses. “Não posso revelar nomes ainda, mas vai ter a participação de vários fadistas, que acederam ao meu convite para participar no disco. Tem sido uma experiência de sonho trabalhar com todas as pessoas que estão presentes neste disco. Se me dissessem em 2016 que eu iria estar a trabalhar com grandes nomes do fado, eu não sei se acreditava.”