#ReBPlaylist: Agosto 2017

[FOTO] Direitos Reservados

Calor, festivais de Verão e música. Agosto chegou ao fim e a banda sonora ficou fechada. No nosso “escritório”, a selecção nem sempre reflecte as temperaturas lá fora: os melhor exemplos que temos disso são “Carry On”, faixa de XXXTentacion, ou “DS Wonders”, tema original de A I W A.

Se estiverem à procura do vosso hit de verão nesta lista, a sugestão da casa vai para “Sky Walker”, música de Miguel com uma camada de auto-tune cedida por Travis Scott.

Do Reino Unido a Portugal, as escolhas deste mês estão servidas. Façam bom proveito!

 


[A I W A] “DS Wonders”

“DS Wonders” é uma das faixas do mais recente álbum do produtor de Budapeste, A i w A. Retirada de Recent Ups and Downs, 50º registo da britânica Seagrave que já editou, por exemplo, o português Ondness, “DS Wonders” é um dos temas de maior brilho na segunda metade de um disco que deambula pelo techno, pelo dub e pelos beats que se aproximam a passos largos do universo hip hop… como é caso muito particular esta “DS Wonders”. Tema que parece saído de um qualquer manual de Flying Lotus e companhia. Tem umas vibrações meio lascivas, e umas claps cirurgicamente colocadas em cima de um sintetizador que, no mínimo, pode provocar uma bela sensação de conforto quando acompanhado com um café bem tirado.

Diogo Santos


[Miguel] “Sky Walker” feat. Travis Scott

Há poucas coisas que me deixem tão feliz como um novo disco do Miguel. Afinal, o norte-americano consegue dar ao pop aquele toque sexy e sublime que não está ao alcance de qualquer um. Posto isto, esta apresentação do quarto álbum tem tudo para me encher as medidas. Mesmo a jeito para um Setembro em grande, “Sky Walker” chega com a leveza pop de uma imperial ao fim de tarde, sem deixar que se instale a amargura pelo fim do estio. Com a ajuda de Travis Scott, Miguel avança sem medos por uma sonoridade absolutamente descontraída, apontando a sua linguagem para lugares muito menos intimistas que o costume. Sintetizadores certeiros e um groove irrepreensível polvilham esta mistura deliciosa, com a garantia de que o menino traz as melhores referências da sua geração. “I’m Luke Skywalkin’ on these haters” – yes, he is.

Rute Correia


[rafxlp x joão tamura] “vinte&um”

Talvez não haja melhor forma de comemorar o aniversário do que a fazer aquilo de que gostamos e em que somos bons. Provavelmente foi isso que passou pela cabeça de rafxlp que a entrar na sua vigésima segunda volta ao sol lança “vinte&um”. A música num estilo hip hop lo-fi, a que o jovem produtor de Viseu já nos habituou, volta a casar com as rimas introspectivas de João Tamura, que já tínhamos visto preencher a faixa de abertura da primeira parte do álbum pink everything, lançado em Janeiro de 2017. As rimas e a música, cheia de pormenores melancólicos e vozes em murmúrio tão características deste sub-género do hip hop, levam-nos a pensar no tempo – no passar dele e no fim do mesmo. “E nós somos eternos? Como Vénus? Como queremos? Será que os deuses morrem como nós morremos?”.

Alexandra Oliveira Matos


[XXXTentacion] “Carry On”

Nos últimos meses, a minha curiosidade com a música criada por Lil Peep ou XXXTentacion tem se arrastado e, por puro acaso, os dois acabaram por lançar os álbuns de estreia no mês de Agosto. Irreverentes e jovens, as semelhanças entre os dois são algumas. No entanto, parece-me existir uma diferença gritante entre os dois: o talento do artista da Flórida, algo sustentado pelo trabalho que apresentaram em Come Over When You’re Sober, Pt. 1 e 17.

Focando as atenções em Jahseh Onfroy, 17 é um conjunto de faixas sobre depressão, solidão e desamores. No meio disso tudo, “Jocelyn Flores”, “Everybody Dies In Their Nightmares” e “Carry On” são faixas-chave. Sustentada em beats lo-fi e em samples da voz de Shiloh Dynasty – a Pigeons and Planes explica tudo – , a tríade é, claramente, o melhor de XXXTentacion, expondo os seus demónios sem que seja necessário gritá-los.

A polémica à volta de XXX é uma teia complexa que, esperamos nós, terá um final transparente. Como qualquer assunto intrincado, as opiniões dividem-se e a Internet continua sem saber nada. Para (tentar) ajudar, deixo-vos algumas recomendações de leitura: All the Young Sadboys: XXXTentacion, Lil Peep, and the Future of Emo (The Ringer), Xxxtentacion, Kodak Black & Rap’s Ugly Embrace of Sexual Assault (DJ Booth) e A Reader Wants to Know Why We Didn’t Cover XXXTentacion’s ‘17’ Album (DJ Booth). Não prometo respostas, mas mal também não vos fará.

Alexandre Ribeiro


[DOOM] “DOOMSAYER”

Alchemist é grande, como aliás vamos poder ouvir já este mês no Musicbox, em Lisboa. E neste “DOOMSAYER”, o super-produtor serve o anti-herói mascarado com um pedaço de Apocalipse feito som, com um prato nervoso e notas sombrias que oscilam entre a banda sonora de filme de série B dos anos 50 e o som que imaginamos desprender-se das páginas dos romances de Dashiell Hammett. E por cima, DOOM faz o que faz melhor: liberta palavras que só parecem fazer sentido na sua garganta, barragem de metáforas naquele flow que mais ninguém consegue igualar. Um verso que já se conhecia de um remix de Young Guru, mas que aqui ganha outro contexto em mais uma valorosa página das Missing Notebook Rhymes. Mantenham-se ligados (na Adult Swim…) que a história prossegue dentro de momentos.

Rui Miguel Abreu

ReB Team

ReB Team

Facebook.com/rimasebatidas
Twitter: @rimasebatidas
Instagram: @rimasebatidas
SoundCloud.com/rimasebatidas
YouTube.com/c/rimasebatidas
Mixcloud.com/rimasebatidas
ReB Team