NOS Primavera Sound 2018: Que festival teríamos no Porto se só viessem os nomes do hip hop e da electrónica?

[FOTO] Brock Fetch, Allen Daniels

O cartaz da edição deste ano do Primavera Sound, em Barcelona, foi revelado ontem e não existem dúvidas: estamos perante um dos melhores alinhamentos de festivais europeus — e tudo a acontecer aqui ao nosso lado…

Como aprendemos em edições anteriores, o Porto não tem direito a todos os nomes do seu festival-irmão. Não que nos possamos queixar: Run The Jewels, Justice, Aphex Twin, Death Grips, Skepta, Miguel, Flying Lotus e Sampha passaram pelo Parque da Cidade em 2017. Se pudéssemos — quem nos dera ter esse poder –, o alinhamento português contaria apenas com nomes hip hop e electrónica, só para facilitar o trabalho dos programadores, obviamente — Fernando Ribeiro, isto não é racismo musical, vá lá…

Pegando na premissa do título, vamos por dias:

31 de Maio: Björk, Fever Ray, Four Tet, Floating Points, Jlin, Kelela, DJ Koze, Levon Vincent, Madlib, Marcel Dettman, Mount Kimbie e Vince Staples;

1 de Junho: Arca, Dekmantel Soundsystem, Ibeyi, The Internet, Jorja Smith, Knox Fortune, Kyle Dixon & Michael Stein, Migos, Sevdaliza, Thundercat e Tyler, The Creator;

2 de Junho: A$AP Rocky, Abra, Gabriel Garzón-Montano, Jon Hopkins, John Talabot, Majid Jordan, Oneohtrix Point Never e Tom Misch.

Não seria apenas um cartaz orientado para alguns dos criadores mais fascinantes da actualidade, como também incluiria a oportunidade de assistirmos pela primeira vez a actuações ao vivo de nomes como Vince Staples, Tyler, The Creator, Migos, Thundercat, A$AP Rocky, Madlib, Majid Jordan ou The Internet.

Não é o Festival do Nunca, mas pelo menos existe a ténue possibilidade de acontecer. Só é preciso que os astros se alinhem… pelo sim, pelo não já se acendem velinhas deste lado.

 


Alexandre Ribeiro

Alexandre Ribeiro

"I just looked at the pictures"
Alexandre Ribeiro