NERVE esgota concerto de apresentação na ZdB… mas temos dois bilhetes para ti

[FOTO] Chikolaev

 

Depois da passagem pela noite de Ciência Rítmica Avançada que o Rimas e Batidas programou na última edição do Vodafone Mexefest, em finais de Novembro passado, NERVE anunciou para o próximo sábado, dia 9 de janeiro, na Galeria Zé dos Bois do Bairro Alto, a apresentação oficial e na íntegra de “Trabalho & Conhaque” ou “A Vida Não Presta e Ninguém Merece a Tua Confiança”, o seu aplaudido segundo álbum que conquistou lugar destacado nas listas que distinguiram as melhores colheitas musicais de 2015. Os bilhetes para esse concerto já se encontram esgotados, mas mais abaixo indicamo-vos como dois dos nossos leitores poderão ainda garantir a presença na ZdB para uma noite que se adivinha imperdível.


 

nerve_zdb_janeiro_2016_silvia_prudencio

©Sílvia Prudêncio


A convite da Galeria Zé dos Bois, Rui Miguel Abreu assinou o texto de apresentação deste concerto de NERVE que a seguir reproduzimos:

Trabalho é trabalho e conhaque é conhaque, mas será mesmo que a vida não presta e não há por aí quem mereça a nossa confiança? Se se procurar alguém que troca a ordem das palavras e das ideias, que nos oferece visões (des)informadas da paranóia, da truculência interior, de um quotidiano que pode ser exasperante, de uma realidade em que ninguém acredita por ser tão absurda, então pode-se garantir com total segurança que NERVE, como em tempos Leonard Cohen, outro céptico profissional, é o vosso homem.

“Trabalho & Conhaque” ou “A Vida Não Presta & Ninguém Merece a Tua Confiança” é, sem dúvida, um dos mais refinados exercícios musicais produzidos este ano em Portugal. A suportar esta afirmação está a profunda inteligência das suas letras, que buscam inspiração em Andy Kaufman e noutros génios/loucos que escapam à esfera imediata do hip hop: NERVE constrói um delicado rendilhado de ideias, faz ginástica admirável com o som e o sentido, e cospe tudo com a classe do cowboy que do fundo do saloon consegue atingir com o seu tabaco mascado o escarrador ao pé do balcão. Sem espinhas e com aquele ressoar metálico que gritaria “três pontos” se estivéssemos a falar de basquete em vez de uma cena digna de Sergio Leone.

O álbum com que NERVE exigiu toda a paciência de santo do mundo aos seus fãs, que aguardavam sucessor para Eu Não das Palavras Troco a Ordem desde 2008, traz mais argumentos para lá da desenvoltura poética e conceptual: sonicamente é um valente murro no estômago, com beats assinados por estetas de um novo paisagismo musical no hip hop como Pedro, o Mau, Notwan, Keso ou o próprio NERVE. Beats que procuram outras texturas, que se divertem a explorar a sombra no quarto escuro das frequências, de uma densidade monocromática que contrasta com a explosão de cores das palavras e a ginástica rítmica dos flows.

É isto que NERVE vai finalmente apresentar na ZdB: sem rede, sem filtros, sem tiques ou truques, apenas com a segurança de quem sabe que trabalho é trabalho e conhaque é Remy Martin, se tivermos sorte e concluirmos que a vida até presta e que há afinal de contas quem merece a nossa total confiança.

Para se habilitarem a ganhar os dois bilhetes que temos para oferecer, basta fazerem like nas páginas Facebook do Rimas e Batidas, NERVE e Galeria Zé dos Bois, partilhar este post e em comentário responder à seguinte pergunta:

 

Quantos anos demorou NERVE a concluir “Trabalho & Conhaque” ou “A Vida Não Presta & Ninguém Merece a Tua Confiança”?

 

Dica: por épocas da edição de ENPTO, NERVE já tinha escrito parte do nome deste novo projecto. É essa data que assumimos como o início da arquitectura de T&C/AVNP&NMTC.

As respostas certeiras levarão os seus autores a sorteio, via random.org, e os dois contemplados serão anunciados no nosso Facebook na sexta-feira.

 

ReB Team

ReB Team

Facebook.com/rimasebatidas
Twitter: @rimasebatidas
Instagram: @rimasebatidas
SoundCloud.com/rimasebatidas
YouTube.com/c/rimasebatidas
Mixcloud.com/rimasebatidas
ReB Team