Fínix MG: “Eu acredito que o que faço é bom o suficiente para ser relevante dentro do movimento”

[TEXTO] Alexandre Ribeiro [ARTWORK] benji & ProfJam

Fínix MG acaba de lançar NÍVEIS, o EP de estreia que conta com instrumentais de Osémio Boémio, benji price e rkeat. Com a estrutura sónica erguida pela equipa da casa, o rapper de Massamá sente-se como peixe na água e navega com facilidade e mestria, mostrando que está pronto para soltar todo o potencial que lhe é reconhecido desde que começou a lançar temas soltos.

Depois de lançar Mixtakes[trinta&sete.] e Tá Ligado, trabalhos de ProfJam, Oseias. e Ventura, respectivamente, a Think Music coloca o selo em mais um projecto de qualidade, o segundo de um rapper. Se Fínix esteve toda a sua vida à espera disto, a verdade é que, asseguramos nós, “quem espera sempre alcança”.

 



Depois de vários temas soltos lançados durante os últimos anos, é altura de lançar o EP de estreia. Ouvindo as 5 faixas de Níveis, é notório que queres mostrar que esta nova fase é o início do trabalho “a sério”. Quanto tempo demorou o processo de criação do EP? 

Embora me ache uma pessoa relativamente rápida no que toca ao processo de criação e captação no estúdio, é natural que as coisas demorem algum tempo a materializar-se, visto que há um grau de rigor que eu e os restantes membros da editora colocamos a nós próprio e ao conteúdo que lançamos. No total, o processo de escrever as faixas, produzir os instrumentais, gravar, misturar, fazer vídeos e arte, etc.. O EP demorou por volta de 3 a 4 meses a ser feito.

O que é que este Níveis significa?

Quanto ao título, para mim, representa vários tipos de níveis, nomeadamente skill enquanto artista, e reconhecimento no mundo da música portuguesa. Eu acredito que há níveis dentro do game, e eu estou sempre a tentar passar mais um nível. Ainda não estou onde quero estar, mas sinto que estou no bom caminho.

Escolheste trabalhar só com produtores da Think Music. Porquê?

A razão principal é sermos família. Estamos sentados à mesa juntos, temos os mesmos sonhos e ambições, e sinto que os produtores que escolhi são quem melhor representa e executa a sonoridade e visão artística que eu queria pôr neste EP. Acho que a Think Music se pode gabar de ter alguns dos melhores e mais inovadores produtores do rap game.

A recepção à música “Think Music” foi calorosa – actualmente conta com cerca de 90 mil visualizações no YouTube. Estavas à espera desta reacção?

Eu acredito que o que faço é bom o suficiente para ser relevante dentro do movimento, e também gosto de pensar que o público aprecia e apoia a minha música, mas admito que estava à espera que não fosse tão rápido. Sinto que visualizações nem sempre representam a realidade do rap nacional.

No podcast Três Pancadas, o Sam The Kid falou sobre uma faixa em que estão a trabalhar juntos. Como é que acontece a vossa ligação e quando é que vamos poder ouvir algo da vossa parte?

Estou muito hype com essa faixa, já que ele é um dos artistas que mais respeito e me influenciou dentro do rap tuga. No entanto, neste momento, estou a atravessar uma fase de mega perfeccionismo nos meus versos, tanto em escrita como na entrega vocal, e de momento ainda não sinto que essa faixa esteja no ponto. Também sei que o Sam tem uma agenda muito mais cheia que a minha, que limita um pouco o processo, mas tenho a certeza que vai ser feito em breve. Assim que ele me disser algo, vamos para estúdio outra vez, e quem sabe até pode sair mais qualquer coisa. Shout out ao Sam The Kid.

 


Fínix MG: “Think Music”, a amizade com ProfJam e “o trabalho a sério”

Alexandre Ribeiro

Alexandre Ribeiro

"I just looked at the pictures"
Alexandre Ribeiro