7 Dias, 7 Vídeos

[TEXTO] Gonçalo Oliveira [FOTO] Spencer Groshong

Era digital, informação à velocidade da luz. Vídeos e músicas a soçobrar pelas plataformas virtuais. Novidades emaranhadas entre si, confusão sónica, sentidos desorientados. Quem nos guia? Por onde vamos? Para onde vamos?

7 Dias, 7 Vídeos é o resgate audiovisual semanal no terreno do hip hop. Filtragem de qualidade, barreira contra a poeira que nos cega com tanto novo, com tanto para espreitar e escutar.

 


[Del The Funky Homosapien & Amp Live] “Wheel Of Fortune”

Nunca cansa vermos um velho herói em boa forma. Del The Funky Homosapien demonstra que também merece um lugar na era digital da música, abordando em grande estilo uma produção de Amp Live, também ele em fase de renovação no que toca à arte do beatmaking.

They offer little, it’s like trading a yacht for a box of Skittles“. Uma referência clara à nova geração de entertainers que “evoluíram” dos feitos alcançados por MCs históricos, como o próprio Del. Além da intervenção artística descontraída, “Wheel Of Fortune” é ainda o primeiro avanço de um projecto que o rapper e produtor preparam para lançar já no próximo mês — Gate 13 chegará a 20 de Abril.

 


[Jhené Aiko] “Never Call Me” feat. Kurupt

“Never Call Me” é o novo single de Trip, o álbum que Jhené Aiko editou no decorrer do ano passado. O tema foi escrito na ressaca do seu divórcio, em 2016, que terminou da pior forma possível, com o ex-marido a lavar alguma da roupa suja em pleno Twitter. A cantora de Los Angeles foi até South Central gravar o vídeo para a faixa, com alguns dos pesos-pesados da cena West Coast na sua retaguarda, dispostos a defendê-la de possíveis futuros ataques. Além de Kurupt, que participa no tema através de uma gravação telefónica, Nipsey Hussle, Dom Kennedy, Casey Veggies e Hit-Boy reforçam as palavras de Jhené: “My bros really in the field / Neighborhood is really real and they don’t play that here.”

 


[Legalize LA] “Bullshit”

O rapper da Linha da Azambuja continua a dar seguimento à sua mais recente fornada de singles e “Bullshit” é o primeiro de 2018, seguindo as mesmas pegadas de “Zip Bags” e “Capítulos”, todos apresentados com recurso a vídeo.

A vida de hustle nas ruas surge como pano de fundo para este novo tema, a alternativa mais fiável para atingir rendimentos dignos num país onde o fosso entre ricos e pobres continua a aumentar de dia para dia e uma média diária de oito horas de trabalho equivale a pouco mais de 600 euros ao final do mês. Entre escutas policiais e paisanas, Legalize LA continua a fintar o sistema, mesmo que tenha de trocar sucessivamente de número de telemóvel, qual Padrinho do séc. XXI.

 


[Benny The Butcher & 38 Spesh] “Intro” (Prod. Lil Eto)

Stabbed & Shot é o primeiro esforço de Benny The Butcher num formato extenso para 2018. O álbum a meias com 38 Spesh saiu no mês passado e conta com duas colaborações de peso: Styles P e Jadakiss são as lendas a passar a tocha o rapper de Buffalo, que faz parte da Griselda Records, uma das maiores sensações do hip hop nova-iorquino da actualidade. Benny estreou-se pela editora de Westside Gunn e Conway no ano passado com Butcher On Steroids.

 


[Grandmilly & Shozae] “Graffiti”

Stones Throw é, por norma, sinónimo de casamentos perfeitos entre passado e presente. Por outras palavras, serve de casa para as mentes mais brilhantes a seguir os passos das sonoridades ancestrais do hip hop, que evoluem sem nunca perderem a pertinência de continuar ligados umbilicalmente ao género musical nascido no Bronx.

Grandmilly & Shozae são dois colaboradores de longa data que se reinventaram ainda mais neste “Graffiti”, tema que marca a estreia em absoluto pela Stones Throw Records. Fica dado a conhecer o primeiro avanço de Adventureland, um disco que certamente vamos querer acompanhar.

 


[Czarface & MF DOOM] “Bomb Thrown”

Czarface Meets Metalfaceleakou mas vamos tentar manter a calma e aguardar pela versão oficial, apoiando de forma mais directa o movimento artistico deste quarteto. “Bomb Thrown” não ajuda: é um facto. Todo o hip hop junkie se coça enquanto aguarda por uma nova dose de DOOM, uma das lendas do liricismo no circuito underground norte-americano. À falta de mais, aconselha-se a leitura da crítica a Madvillany, que celebra o seu 14º aniversário, assinada há dias por Diogo Pereira para o ReB.

 


[Ho99o9] “Street Power”

Injecção adicional de energia para o arranque de mais uma semana. Os Ho99o9 deram início à tour de 2018 e têm quase três dezenas de datas marcadas para se apresentarem em solo norte-americano. “Street Power”, do seu último United States of Horror, saltou agora para o formato de vídeo para assinalar um novo período na estrada por parte da banda que carrega o pergaminho do rapcore. O grupo foi um dos momentos altos da edição do ano passado do Vodafone Paredes de Coura e o Rimas e Batidas teve acesso a uma entrevista com theOGM e Eaddy.

Gonçalo Oliveira

Gonçalo Oliveira

Filho bastardo do jazz e da soul que encontrou no hip hop uma nova forma de abordar linguagens musicais perdidas no tempo. Não tem uma música favorita porque Jimi Hendrix e J Dilla nunca trabalharam juntos.
Gonçalo Oliveira